• Sara Barbot

Agora que já nos consciencializamos acerca do Autismo, podemos de uma vez por todas aceitá-lo?


Neste Dia Mundial para a Consciencialização do Autismo, apelo à aceitação e não à mera partilha e promoção de informação. Tendo feito toda a diferença esta decisão da ONU, que e muito bem, criou esta data para sinalizar mundialmente esta condição, a verdade é que há ainda um longo caminho a percorrer no que toca à VERDADEIRA ACEITAÇÃO DO AUTISMO. Esta ainda está longe de ser uma realidade. Ao contrário deste diagnóstico que é muito REAL. Ao contrário do sofrimento que acarreta que é extremamente REAL. Ao contrário das dificuldades e constantes desafios que as famílias de crianças, jovens e adultos com autismo se deparam todos os dias, que é constantemente REAL.


AUTISMO NÃO É UM CONTO DE FADAS. Parem lá com esse desrespeito! O Autismo não existe só no dia 2 de Abril. O AUTISMO EXISTE TODOS OS DIAS, E PRECISA TODOS OS DIAS DA ACEITAÇÃO E COMPREENSÃO DE TODOS.


É urgente acabar com a descriminação do sofrimento diário, dos pais dos filhos e de quem os ama. O autismo, não é a mãe que é ansiosa, o pai que é exigente ou o filho que é mimado. Nem tão pouco é o clínico especializado que exagera!


O AUTISMO É PARA LEVAR A SÉRIO!

O Autismo é para ser falado logo que seja preciso, ser diagnosticado logo que seja preciso, ser ajudado logo que seja preciso, O AUTISMO necessita de ser integrado e incluído na verdadeira concepção da palavra na realidade de todos.

Não dá para continuar com esta espécie de fechar os olhos com muita força a ver se deixa de existir.


O AUTISMO É REAL, E PRECISA REALMENTE DE SER ACEITE POR TODOS.


Sara Barbot

Psicologa Clínica